Share on FacebookShare on LinkedIn

[Artigo atualizado em 11/09/2017]

Uma aplicação de R$ 10 mil na poupança tende a render cerca de R$ 500 nos próximos 12 meses, enquanto em um CDB o mesmo valor investido deve gerar um ganho em torno de R$ 580.

Se a gente pegar um prazo de 24 meses, os mesmos R$ 10 mil devem render R$ 1.015 na poupança, e mais de R$ 1.300 em um bom CDB, que renda 110% do CDI.

Esses são dados do Ranking Renda Fixa Macro, elaborado pelo economista Pedro Raffy Vartanian, em parceria com o blog Dinheiro pra Viver e com o jornal O Estado de S. Paulo.

A tabela abaixo, extraída do estudo, mostra quanto devem render as aplicações de baixo risco nos próximos 12 e 24 meses.

Quanto R$ 10 mil tendem a render nos próximos 12 e 24 meses

Tipo de aplicaçãoEm 12 mesesEm 24 meses
PoupançaR$ 500R$ 1.015
Fundos DIR$ 506R$ 1.064
Tesouro SelicR$ 562R$ 1.185
CDB (90% do CDI)R$ 522R$ 1.099
CDB (100% do CDI)R$ 580R$ 1.225
CDB (110% do CDI)R$ 638R$ 1.352

O ranking tem também simulações para aplicações de R$ 2.000 e de R$ 50 mil, além de mostrar as projeções também em percentuais.

Todos os números do estudo já descontam Impostos e taxas. (Mais informações na metodologia).

Em relação aos dados acima, é importante saber que um CDB com rendimento de 110% do CDI normalmente não tem liquidez diária, ou seja, você não pode resgatar quando quiser. Só pode retirar na data de vencimento.

Se você estiver atrás de liquidez diária, pode encontrar CDBs que rendem 100% ou até 105% do CDI. Nesse caso, o CDB e o Tesouro Selic são duas opções bastante rentáveis para quem quer investir R$ 10 mil e resgatar a qualquer momento.

Mas tenha ciência de que um CDB de banco pequeno ou médio tem risco maior do que os títulos do Tesouro, então só vale a pena se estiver rendendo mais.

Quanto rendem as aplicações de risco mais baixo?

O Ranking Renda Fixa Macro compara as aplicações de mais baixo risco do mercado brasileiro. São os investimentos mais previsíveis que existem.

Aplicações como essas nunca vão ter rendimentos altíssimos, como ocorre muitas vezes com o mercado de ações e eventualmente com alguns títulos do Tesouro Direto.

Em compensação, essas aplicações de baixo risco, mostradas no estudo, nunca (ou muito raramente) têm rentabilidade negativa.

Esse tipo de investimento é recomendável para guardar aquele dinheiro que a gente não pode perder de jeito nenhum – por exemplo, as reservas de emergência ou o estudo dos filhos.

Onde devo colocar o meu dinheiro para não perder?

Para receber mais dicas sobre como investir o seu dinheiro de acordo com seus interesses e receber os novos posts, curta a página Dinheiro pra Viver.  Você pode também deixar um comentário com sugestão ou dúvida no nosso grupo no Facebook.

Além disso, o blog Dinheiro pra Viver está formatando um treinamento para capacitar as pessoas a tomarem decisões de investimentos de acordo com os objetivos delas próprias. 

Ao final do treinamento, os alunos saberão quais as aplicações mais adequadas para atingirem objetivos como: montar uma reserva para aposentadoria, comprar um bem, fazer uma viagem, pagar a escola dos filhos etc.

Para ser avisado quando abrirem novas turmas, preencha o formulário abaixo!


Share on FacebookShare on LinkedIn

Sílvio Crespo

Jornalista econômico e educador financeiro. Foi editor-assistente de Economia do portal do Estadão. Ganhou duas vezes o prêmio de melhor blog do jornal O Estado de S. Paulo e uma vez o prêmio Case New Holland de Jornalismo, pelo blog Achados Econômicos, do UOL.