Share on FacebookShare on LinkedIn

Quem aplicou R$ 100 mil na poupança em 2007, dez anos depois ficou com um saldo de R$ 201 mil. Ou seja, teve um rendimento de R$ 101 mil.

Já quem investiu a mesma quantia no Tesouro IPCA+, um dos títulos do Tesouro Direto, ficou com um saldo de R$ 319 mil, já descontado o Imposto de Renda. Desse modo, o rendimento foi de R$ 219 mil, mais que o dobro do obtido na poupança.

Esses foram alguns dos dados que eu mostrei no mais recente webinário (aula online) organizado pelo blog Dinheiro pra Viver. O tema foi “Quanto se ganha com aplicações de renda fixa”.

Veja abaixo uma das tabelas que mostrei no webinário, realizado em 31 de agosto último.

Comparação de rentabilidade: Tesouro Direto, poupança e CDB

Os números se referem ao saldo final do investidor após deixar o dinheiro por dez anos nessas aplicações, já descontados o IR e as outras taxas, quando há.

Na parte referente ao Tesouro Direto, tirei a média de dois títulos: o Tesouro Selic, que é o mais conservador de todos, e o Tesouro IPCA+, que é mais volátil.

Ao mesmo tempo, uma pessoa que conseguiu investir em um CDB que pague 119% do CDI (saiba o que é render “X% do CDI”), após 10 anos ficou com R$ 308 mil. Como são raros os CDBs de dez anos, na simulação considerei uma pessoa que tenha investido duas vezes em um CDB de cinco anos.

Na última linha, “Inflação”, foi considerado quanto uma pessoa teria se tivesse apenas seguido a inflação.

Você vê que ali tem um número superior a R$ 182 mil. Isso quer dizer que, em 2007, o valor de R$ 100 mil tinha um poder de compra equivalente ao de R$ 182 mil hoje.

No webinário, apresentei também simulações para investimentos de R$ 5.000, R$ 500 mil e R$ 1 milhão.

Ainda, simulei quanto teria hoje uma pessoa que aplicou R$ 100 todo mês, religiosamente, nos últimos dez anos, em cada um desses investimentos de renda fixa. Fiz essa mesma simulação para quem aplicou R$ 500, R$ 1.000 e R$ 5.000 por mês.

O webinário foi ao vivo e não disponho de gravação. Também não sei quando vou apresentar o próximo, e nem se ele terá o mesmo tema.

Mas você pode acompanhar abaixo os slides que utilizei na apresentação:

Share on FacebookShare on LinkedIn

Sílvio Crespo

Jornalista econômico e educador financeiro. Foi editor-assistente de Economia do portal do Estadão. Ganhou duas vezes o prêmio de melhor blog do jornal O Estado de S. Paulo e uma vez o prêmio Case New Holland de Jornalismo, pelo blog Achados Econômicos, do UOL.