Share on FacebookShare on LinkedIn

[Atualizado em 22/11/2017]

[Acompanhe também o conteúdo do Blog no YouTube]

Foi-se o tempo em que com R$ 1 milhão se podia ter um rendimento de R$ 100 mil por ano sem precisar correr riscos.

Veja quanto tende a render um investimento de R$ 1 milhão na poupança e em outras das aplicações de mais baixo risco existentes no mercado brasileiro, de acordo com dados do Ranking Renda Fixa Macro 4ª Edição:

Quanto rende R$ 1 milhão (projeções)

Tipo de aplicaçãoPróx. 12 mesesPróx. 24 meses
PoupançaR$ 49.300R$ 100.700
Tesouro SelicR$ 55.400R$ 117.700
CDB a 100% do CDIR$ 57.300R$ 121.700
CDB a 110% do CDIR$ 63.000R$ 134.300

Esses números indicam o rendimento líquido das aplicações, já descontados o Imposto de Renda e as taxas. As projeções são do economista Pedro Raffy Vartanian.

Aplicando R$ 1 milhão na poupança, você tende a ganhar um rendimento de R$ 49,3 mil nos próximos 12 meses e de R$ 100,7 mil nos próximos 24. Isso dá menos de R$ 5.000 por mês em média – e olha que aqui não descontamos a inflação. 

No Tesouro Selic, papel mais conservador do Tesouro Direto, o rendimento tende a ser de R$ 55,4 mil por ano, o que dá R$ 4.616 por mês, em média (antes de investir, vale a pena conhecer os riscos de cada título do Tesouro).

Entre os investimentos de baixo risco, o que traz maior retorno é o CDB, desde que ele pague acima de 100% do CDI (saiba o que é isso).

Em um CDB com remuneração de 110% do CDI, uma aplicação de R$ 1 milhão tende a render R$ 63 mil ao longo de 12 meses, o que daria uma média de R$ 5.250 por mês.

No entanto, vale uma palavrinha sobre o CDB, porque ele é mais arriscado que o Tesouro e a poupança.

Se você investir R$ 1 milhão em um CDB, e o banco quebrar, o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) vai te pagar R$ 250 mil. Os outros R$ 750 mil (e mais os juros) você tende a perder (conheça os riscos dos CDBs de bancos pequenos e médios).

Então, o ideal é aplicar menos de R$ 250 mil em um CDB, se você quiser ficar 100% coberto pelo FGC. Caso você queira aplicar mais do que isso, pode dividir em CDBs de diferentes instituições financeiras. Por exemplo, dividir o seu milhão em dez CDBs (cada um de um banco diferente), cada um com R$ 100 mil.

Outro ponto importante é que, normalmente, os CDBs que pagam acima de 110% do CDI não têm liquidez diária, ou seja, não permitem que você resgate o dinheiro antes de um prazo pré-definido.

Caso você não saiba se vai precisar do dinheiro antes do prazo, o melhor é buscar investimentos com liquidez diária, como o Tesouro Selic.

E se descontar a inflação?

Nos números acima, não descontamos a inflação.

Quer dizer, se você aplicar R$ 1 milhão no Tesouro Selic e fizer uma retirada de R$ 4.616 todo mês, você vai continuar com cerca de R$ 1 milhão daqui a um ano. Porém, devido à inflação, esse R$ 1 milhão já não terá mais o mesmo poder de compra.

Esse é um dos dois erros comuns de quem quer viver de renda passiva. As pessoas vão gastando mensalmente o rendimento total da carteira delas, quando na verdade só deveriam retirar o que render acima da inflação.

Digamos que a pessoa tenha R$ 1 milhão. Ela vai gastando o rendimento e depois daqui a um ano continua com R$ 1 milhão. E depois de mais um ano ainda está com R$ 1 milhão. No primeiro e no segundo ano não faz tanta diferença.

Mas após dez anos fazendo isso, você vai ver que faz muita diferença. Um milhão daqui a dez anos não vai valer o mesmo que 1 milhão hoje. É só pensar o seguinte: que tipo de imóvel você conseguia comprar com R$ 1 milhão, dez anos atrás? E hoje, você compra o mesmo imóvel com esse dinheiro? 

Então, vamos descontar a inflação. A pessoa que quer viver de juros, mas quer que a parte principal do capital acompanhe a inflação, terá que gastar bem menos por mês, se for colocar o seu milhão nessas aplicações de baixo risco.

Mais especificamente, com R$ 1 milhão aplicados você tende a ter o seguinte rendimento real (descontada a inflação), nos próximos 12 e 24 meses:

Rentabilidade real de uma aplicação de R$ 1 milhão (projeções)

Tipo de aplicaçãoPróx. 12 mesesPróx. 24 meses
PoupançaR$ 11.900R$ 19.200
Tesouro SelicR$ 17.800R$ 34.900
CDB a 100% do CDIR$ 19.500R$ 38.600
CDB a 110% do CDIR$ 25.100R$ 50.300

Na poupança, o rendimento real de uma aplicação de R$ 1 milhão tende a ficar em R$ 11,9 mil em 12 meses e R$ 19,2 mil em 24 meses. Dá cerca de R$ 1.000 por mês. 

Ou seja, aplicando R$ 1 milhão na poupança, se você fizer retiradas de mais de R$ 1.000 por mês você reduzirá gradativamente o seu patrimônio.

Veja que se você investir em CDBs que paguem 110% do CDI, deve conseguir mais do que o dobro da poupança, em termos de rendimento real.

Na média mensal, CDBs com essa remuneração dão um rendimento real de aproximadamente R$ 2.000 por mês.

Como fazer o dinheiro render mais

Para ter um rendimento maior do que esses listados acima, é necessário correr mais risco ou alongar o prazo do investimento. Por exemplo, um CDB com prazo de cinco anos tende a render mais do que um com prazo de dois.

Existem também aplicações para quem quer uma rentabilidade superior a essas, mas não quer riscos altos demais.

O que se pode fazer nessas ocasiões é montar uma carteira diversificada. Você coloca, por exemplo, uma parte do valor em ações e praticar o rebalanceamento da carteira.

Com isso, você corre o risco de ter rentabilidade negativa em determinados meses ou anos. Mas, praticando o rebalanceamento, a tendência é render mais a longo prazo, em comparação com aplicações de renda fixa.

Esse tipo de dica eu dou o tempo todo. Para receber, se inscreva no canal do Dinheiro pra Viver no Youtube e participe do grupo do blog no Facebook.

Share on FacebookShare on LinkedIn

Sílvio Crespo

Jornalista econômico e educador financeiro. Foi editor-assistente de Economia do portal do Estadão. Ganhou duas vezes o prêmio de melhor blog do jornal O Estado de S. Paulo e uma vez o prêmio Case New Holland de Jornalismo, pelo blog Achados Econômicos, do UOL.

2 Replies to “Quanto rende R$ 1 milhão na poupança e em aplicações de baixo risco

Comments are closed.